12 setembro 2008

Baixar as calças aos cientistas ou o cagaço

Sim, hoje é sexta-feira, mas não dia 13. No entanto parece que o dia decidiu abrir manhoso e que as desgraças se juntaram todas para fazer uma grande festarola. Os cientistas do CERN foram apanhados por umas gracinhas e tiveram medo que fosse o dia do Juízo Final. Um castigo não divino, mas informático.
«As primeiras partículas estavam a circular no Grande Acelerador de Hadrões, perto de Genebra, onde nasceu a World Wide Web, quando um grupo de “hackers” grego invadiu o sistema com o único objectivo de mostrar a sua fragilidade. Ao que parece, se o regresso ao “Big Bang” foi um sucesso, os piratas informáticos também foram bem sucedidos no seu objectivo: mostrar aos cientistas que estes não passavam de “um bando de miúdos da escola”, segundo noticia o jornal britânico “Daily Telegraph”. A “Equipa de Segurança Grega”, como se auto-intitularam os intrusos, entrou quarta-feira no sistema informático do LHC (como é conhecido em inglês) simplesmente para deixar a mensagem referida e provar a vulnerabilidade dos técnicos que estavam à frente daquela que foi considerada uma das maiores experiências do mundo. O objectivo foi simplesmente provar que era possível violar o sistema, mas nunca criar problemas, ainda de acordo com o jornal inglês.“Estamos a baixar-vos as calças por não vos querermos ver a correr nus enquanto se tentam esconder quando o pânico chegar”, lê-se também na mensagem que os “piratas” deixaram no sistema informático do acelerador. E, ao que parece, a intrusão foi mais do que suficiente para alertar os cientistas, que impediram entretanto os cibernautas de aceder ao site www.cmsmon.cern.ch.
Os cientistas envolvidos no projecto receberam também, ao longo dos dias, várias mensagens electrónicas e telefonemas do público em geral que se mostrou preocupado com os objectivos das experiências e com as potencialidades da máquina – produzir um buraco negro para engolir a terra, terramotos ou tsunamis foram apenas algumas das hipóteses colocadas.
Os responsáveis explicaram que o acto só teria sido verdadeiramente perigoso se o grupo tivesse conseguido entrar numa outra rede onde, aí sim, teriam conseguido desligar algumas partes do sistema. Felizmente, apenas um ficheiro foi afectado, mas o incidente foi assustador para a comunidade. A grande preocupação dos cientistas da organização europeia era de que os “hackers” entrassem em um dos maiores detectores da máquina, que pesa 12.500 toneladas e mede 21 metros de comprimento e 15 de altura. Entretanto, a área atacada pelos invasores foi o "Compact Muon Solenoid Experiment", um dos quatro detectores que analisam o choque das partículas.»
Afinal, a sexta-feira foi um dia normal. Como tantas outras sextas-feiras.

3 comentários:

Anónimo disse...

Pisca de gente e nada de raciocínio.

JC / CERN disse...

Os cientistas envolvidos no projecto receberam também, ao longo dos dias, várias mensagens electrónicas e telefonemas do público em geral que se mostrou preocupado com os objectivos das experiências e com as potencialidades da máquina – produzir um buraco negro para engolir a terra, terramotos ou tsunamis foram apenas algumas das hipóteses colocadas.


quando se escrve kk coisa, devias ao menos nao inventar...! ja agora ..nao foi um ataque, mas um erro de um macarico de infrmatica que se pos a usar java sem saber !!

o resto do que dizes...é lixo

pisca de gente disse...

Exmos e Ilmos anónimos

É com alegria que vos recebo nesta casa. Pois é sempre com alegria que vemos desfilar a raiva, esse grão de sal do nosso sacrossanto quotidiano.
Aproveito para lhes dizer que ler não é passar os olhos pelas letras. Se lessem, teriam visto as aspas e teriam reparado que indicam a fonte donde foi extraído o que está transcrito no post.

Saudações calorosas do vosso
Pisca