20 outubro 2009

Saramago tem o dom de incomodar o PSD


O cidadão Mário David pode ter as opiniões que quiser. O eurodeputado Mário David, ao falar, fá-lo em nome do seu estatuto, logo em nome do PSD. O PSD tem um historial de conflito com Saramago que abona pouco em favor do sentido democrático. Há anos, um ministro da cultura do PSD quis também ficar bem visto aos olhos católicos da nação e o tiro saiu-lhe pela culatra. Agora o eurodeputado sente-se lesado e ataca as opiniões iconoclastas de Saramago.
Saramago tem essa vantagem, é escritor, ganhou um prémio que amplificou o seu nome e o da sua obra e há muito faz gala das suas opiniões, que de quando em quando tempera com um grãozinho de polémica. Os escritores servem para isso mesmo. Abençoadas as pátrias que tais autores possuem.
Mário David é uma daquelas figuras que ninguém em Portugal conhece, apesar de ser vice-presidente do Partido Popular Europeu. É uma daquelas figuras que por relações familiares e de amizade entrou no viscoso mundo da carreira política sem que haja notícia de algum relevante contributo para o país que o elege. E que se envergonha de ser compatriota de Saramago.
Nós envergonhamo-nos de ter deputados tão medíocres. De um deputado espera-se que possua no mínimo capacidade de argumentação e habilidade retórica. Mário David não possui manifestamente nenhum desses dons. Os impropérios que diz de Saramago poderiam ter sido ditos por qualquer imbecil.
Não sabemos se Mário David é ou não imbecil. Parece-nos no entanto que se anda a esforçar muito.

2 comentários:

geocrusoe disse...

Porque será que no meio das listas a deputados somos sempre surpreendidos pela existência de uns parvos que só descobrimos demasiado tarde a sua presença?

euexisto disse...

Viva o Saramago! O homem é um génio, os medíocres tentam logo calá-lo.