27 setembro 2009

O último rei, D. Manuel II

Diz Vasco Pulido Valente: "infectado por uma actriz francesa, tinha sífilis". Como se não bastasse essa doença dos devassos, "o príncipe Félix Youssoupof, o assassino de Rasputine, veladamente dissera que ele era gay e frequentava os círculos gay da aristocracia inglesa".
Haverá coisa pior? D. Manuel era o que restava de uma dinastia. Não teve filhos. Não deixou, portanto, herdeiro ao trono, mesmo que já não houvesse trono. Que sentido faz falar de monarquia em Portugal?

1 comentário:

que post tão parvo... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.