24 novembro 2009

No país do politicamente correcto


As taras não olham a credo, cor de de pele, estado civil ou opção sexual.
Parece que à medida que se vão combatendo umas, surgem outras, fruto da sanha higiénica que enforma o agora.
E a América nisso parece campeã. Há no puritanismo de muitos wasp um desejo afim do que atravessou a Alemanha nazi. Tudo se faz em nome das boas acções.
E as acções chegam a ser hilariantes: "a Apple não se responsabiliza pelas avarias dos seus equipamentos, se estes pertencerem a fumadores. O alerta foi dado por uma cliente norte-americana que se dirigiu a uma loja da Apple para reparar o seu computador, que voltou intacto. O funcionário disse que a garantia tira a responsabilidade à Apple de reparar equipamentos “infectados de nicotina”, porque esta substância tem riscos para a saúde."

1 comentário:

geocrusoe disse...

Lindo!... Há taras que valem mais que mil palavras para explicar um sociedade tarada!